Siga por email

TRANSLATE HERE

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

CARCASSONNE, onde o Tempo deu um tempo para tomar uma taça de vinho.

Depois de alguns dias em Barcelona, aproveitamos a gentileza de um amigo e resolvemos pegar a estrada para Carcassonne. Não era longe, 4 horas de viagem numa estrada maravilhosa. Saímos às 10:30h, chegamos 14:30h, bem a tempo de almoçar num restaurante gostosinho.


Carcassonne é uma cidade no sul da França, na região do Languedoc-Roussillon, com 2000 mil anos de história, elevada à Patrimônio Mundial desde 1997. La Cité é um conjunto arquitetônico medieval, cercado por muros e onde é mais interessante visitar. As muralhas tem mais de 2 mil anos de história, com 52 torres. 

A parte moderna fica a cinco minutos de carro, e é chamada de ville basse.

Conta a lenda que uma dama sarracena, Carcas, com a morte do marido, enfrentou o exército de Carlos Magno durante 5 anos, à frente de seus comandados. Quando,  enfim, Carlos Magno levantou o cerco à cidadela, Carcas fez soar o sino anunciando a vitória. Um soldado chamou a atenção de Carlos Magno: "Monsieur, Carcas sonne!" 
Daí, a cidade foi batizada.
Por toda La Cité, se encontram esculturas e referências a La Dame Carcas.


La Dame Carcas era bochechuda
A viagem foi meio tensa; na excitação de conhecer um lugar diferente, esquecemos que íamos para outro país e não levamos passaporte nem a carteira de motorista internacional. Estávamos certos de que, na fronteira Espanha/Fança, iamos ser mandados de volta e frustrar o passeio. Não aconteceu. Passamos pela fronteira como se estívéssemos indo do Leme ao Leblon; ninguém parou o carro, ninguém perguntou nada. Ufa! Bendita UE! Nunca mais repito a experiência.

Em Carcassonne entramos na Cité, dentro das muralhas, onde é ideal ficar, e fomos direto para o Hotel Donjon, indicação da Lúcia.

La Cité
Hotel Donjon
Quarto do Hotel Donjon
O Donjon é um Best Western, o que já garante o mínimo de conforto, mas é muito além disso. O hotel é uma graça e os preços bem razoáveis. Pagamos 160 euros pelo quarto e 12 euros pelo estacionamento.

Depois de deixar as malas, saímos para almoçar.

Perdemos a esperança de almoçar num restaurante aconchegante quando descobrimos que eles fecham às 15h. Fomos para um daqueles turísticos, o La Trouvère. Pedimos 2 formules (entrada, prato e sobremesa) e comemos bem mais ou menos por 40 euros os dois. 
Andamos bastante, a cidade é cheia de lojinhas atraentes para turistas.

À noite, acertamos em cheio. 

Comptoir des Vins et Terroirs
O Comptoir des Vins et Terroirs é exatamente o que procurávamos, um "bar à vin", e ainda tinha a vantagem de ser ao lado do hotel, numa ruazinha estreita. Sentamos na varanda, apreciando uma lua deslumbrante e pedimos uma taça de champanhe (5 euros). O vinho, sugerido pela mocinha que cuidava de tudo, mesas, cozinha e balcão, com eficiência, foi o Les Eminades Saint Chinian, 18 euros, preço ótimo considerando a qualidade. 

À luz da lua
A tábua de queijos veio farta, 14 euros, e cinco qualidades de queijo francês, mais o charme da casa. Agora a água San Pellegrino custou o preço da taça de champanhe, 5 euros! Tá certo que era uma garrafa grande, mas fico com a champanhe! O total da conta para o casal foi de 42 euros, menos de 100 reais!!

O tempo parou em Carcassonne
No dia seguinte, flanamos pela cidade admirando a arquitetura e desbravando todos o cantinhos. Atenção, as lojas fecham às 18h. A Cité des Senteurs é uma loja que vende os famosos sabonetes feitos em Marselha com fragrância de baunilha, chocolate, papaia, melão...

Lojinha
Delicadezas de Carcassonne
Sem pressa.
Depois, fomos visitar o Castelo de Carcassonne.

O Castelo, construido no século XII, pelo Visconde de Carcassonne, foi bastante modificado ao longo dos séculos.

Castelo de Carcassonne
É impressionante a vista que se tem lá de cima!

Visual do Castelo de Carcassonne
Saímos de Carcassonne às 15:30h, com a intenção de almoçar no  Castelo de Fitou, outra indicação da Lúcia. 

À meia hora de Carcassonne, no caminho de volta para Barcelona, o Castelo de Fitou é bem escondido, as placas não ajudam muito.

O Castelo de Fitou é fake, o que não tira o seu charme, mas depois de visitar o de Carcassone, preferimos ir direto ao restaurante.
Quem toma conta do restaurante é um casal, pais de um garotinho que, manejando uma espada de brinquedo, deixava todos os clientes na atenção.  De vez em quando, principalmente depois que chegou o coleguinha também armado, algum cliente levava uma espadada.

Sentamos na varanda, pedi uma taça de vinho, já que não estava dirigindo, meu marido ficou no suco de uva.

Fitou fica no alto de um morro e tem um visual lindo, mas choveu e passamos para o salão. Depois de um almoço bem gostoso, e algumas espadadas, pegamos a estrada de volta para Barcelona.

Vista do Castelo de Fitou
Restaurante em Fitou
No meio do caminho visitamos Perpignan, uma volta de carro só para conhecer.

Chegamos em Barcelona às 22:30h.

Carcassonne é um tesouro. La Dame Carcas.tinha toda razão em defender sua cidadela com garras e dentes!

ONDE FICAR:

HOTEL DONJON
Rue du Comte Roger, 2 - 4
La Cité
Tel: 33 (0)4 68112300

HOTEL DE LA CITÉ - dentro da Cité.
Place Auguste-Pierre Pont
www.hoteldelacite.com

LE DOMAINE d´AURIAC - com o selo Relais & Chateau tem apenas 24 quartos dentro de um antigo vinhedo. Diárias a mais ou menos 165 euros.

ONDE COMER:

NA CITÉ:

COMPTOIR DES VINS ET TERROIRS
3, Rue du Comté Roger

LA BARBACANE - restaurante do Hotel de La Cité (hoteldelacite.com). Tem uma vista de tirar o fôlego e uma estrela no Michelin.

L´ART GOURMAND
Deliciosos biscoitos, pãezinhos e chocolates a peso. Fecha às 19h.
13, Rue St. Louis.

LA MARQUIÈRE
Restaurante do casal Michelle e Bernard Marius. Prove o Magret de Pato e o suflê de framboesas com creme de limão (tem que pedir ao chegar). Fecha às quartas e quintas.
13, Rue St. Jean.

LA CURE GOURMANDE
Chocolates, biscoitos, caramelos, amêndoas torradas cobertas com chocolate.
5/7, Rue Cros Mayrevielle.

THÉ À LA CITÉ
Chás de todos os cantos do mundo nessa lojinha que, ao fundo, tem um espaço para degustação.

LE PARC
Esse restaurante estrelado, do Chef Franck Putelat, fica entre a Cité e a Ville Basse. São tres menus: clássico/ficção, ação/reação e emoção, com preços entre 55 a 120 euros. Fecha domingos e segundas.
11000, Chemin des Anglais.

AU COMTE ROGER
Restaurante badalado do chef Pierre Mesa. (comteroger.com)

BRASSERIE DONJON
O restaurante do Hotel Donjon tem preço honesto, entre 15 e 25 euros o menu, ou "formule", como eles chamam. Inclui entrada, prato principal, sobremesa ou tábua de queijos. Bebidas à parte. Ali, peça o autentico cassoulet de languedoc.

LE DOMAINE d´AURIAC - este restaurante mais afastado do centro fica dentro de um hotel instalado num antigo vinhedo.

LE SAINT JEAN - tem uma vista maravilhosa para o Castelo Comtal.

Experimente uma Oreillette, o "pastel" típico da região, massa fina, frita e passada no açúcar com canela.

NA VILLE BASSE:

LA FERME
Epicerie com farta seleção de queijos, carnes, temperos e vinhos. Também acessórios para cozinha e para os amantes do vinho.

COTÉ FERME
Bistrô ao lado da Ferme - 55, Rue de Verdum.

A FEIRA nas manhãs de sábado, na Praça Central, é um programão. Prove um Gariguettes, tipo de morango francês, pequeno, doce. Leve a máquina fotográfica, é um show de cores e formas. Ao redor da praça, vários bares e cafés convidam à preguiça.

ATRAÇÕES:

BASÍLICA SAINT NAZAIRE
Igreja datada de 925 D.C. 

PORTE NARBONNAISE - o portão mais importante

No final de JUNHO, acontece o Festival de Carcassonne, onde mais de 100 espetáculos teatrais se apresentam.

No final de AGOSTO, o Festival de Carcassonne traz para a cidade um sem número de músicos, bailarinos, que se apresentam por toda a vila.

O mês de DEZEMBRO é inteirinho dedicado ao Natal. Vários eventos festejam St. Nicolas, pista de patinação no gelo, uma gigantesca árvore de Natal, carrossel, passeios de trenzinho à casa de Papai Noel, mercados de rua. A cidade leva à sério a comemoração.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe sua opinião conosco! Deixe seu comentário e sugestões, nós vamos adorar!